Evento – Software Freedom Day 2008 (Sucesso)

setembro 22, 2008

Com todos os problemas que tivemos, posso dizer que foi um sucesso. Já que tivemos mais de 200 pessoas satisfeitas e 292 quilos de alimentos doados!!!

Muito obrigado a:

Valéssio – Cara! Realmente precisamos de mais pessoas como você, que vêem o problema e “mete a mão na massa” pra ajudar! Valeu mesmo!

Aurélio Heckert – Cara! Suou a camisa hein? Quem sabe faz “AO VIVO”!!! 😀 Muito Obrigado mesmo!

Hugo Doria – Você é sensacional man! Um verdadeiro amante da comundade SL, veio de Aracaju somente pra o evento! Valeu mesmo!!!

Guilherme Razgriz – Esse ai veio do Rio De janeiro, passou um “perrengue retado” e ainda assim lotou uma sala. Valeu e vai desculpando qualquer coisa.

Vicente Aguiar – Rapaz! Sua palestra foi o sucesso… Ainda em dose dupla hein? Sensacional! valeu mesmo! Obrigado e vai desculpando qualquer coisa!

Elder Souza – O mais novo colaborador da comunidade SL, já mostrou que tá ativo e vai “chegar junto” conosco! Valeu man!

Ramon – Sua presença nesse evento prova que a comunidade vai além de que “bandeira” carrega, valeu mesmo! Esse é só o primeiro de muitos outros eventos!

Nilo – Obrigado pela palestra de ultima hora, já tive bons retornos sobre ela viu? Valeu!

Antonio Terceiro – Sua palestra, na minha opinião, tecnicamente, foi a melhor. Valeu a presença!

Isamar – Valeu pelo apoio man! Esse é somente o começo dessa parceria! 😀

Anne D’Israel – Essa me ajudou muito quando precisei. Te Amo viu!? Tá, é minha noiva, dizem que não conta, mas ajudou, tenho que agradecer!

Daniel Neto – Meu professor, me deu todo apoio na resolução de problemas e “chegou junto” quando o “bicho pegou…” Valeu!

Luciano Pena – Meu coordenador, valeu pela confiança que depositou em mim. Espero ter retribuido a altura.

Aos Alunos do Cefet de Santo Amaro que compareceram em peso ao evento! Valeu pessoal!

Aos outros organizadores que também me ajudaram ; Kessia e Cristiano Furtado (Esse atrasou até a ida a formatura da mulher pra palestrar!) Valeu pessoal é assim que se faz uma verdadeira comunidade.

Aos funcionários da Unifacs, que me ajudaram muito! Valeu mesmo!

A todos os outros membros da comunidade de Software Livre que estavam lá prestigiando o evento e aos “simpatizantes” que também estiveram por lá.

Novamente, a todos, Obrigado! Isso que é uma comunidade ativa!

Esse não será o ultimo evento do Ano! Se possível, isso será um hábito!

Obs: Aguardem, logo estarei divulgando as fotos e pequenos filmes do evento. Estou esperando algumas outras fotos (Não é Valéssio? rs :P).


Uns andam pra frente e outros…

julho 29, 2008

Engraçado como sempre temos boas notícias e sempre aparecem aquelas que falamos “Como isso ainda pode acontecer?”

Quando o mercado parece ter evoluido e percebeu que a liberdade é bom para todos e com isso será proporcionado a evolução sadia que todos precisamos, mas não, uns apenas pensam em como ganhar dinheiro, mesmo que seja da maneira mais suja.

O mercado é cruel, eu sei, mas sabotar solução x ou y propositalmente já demais. Como não pensar que há envolvimento da solução adversária? É quase instantâneo, mas como não temos provas, entram como mais um boato contado por nerds nos eventos SL da vida.

Eu não poderia deixar isso passar em branco.

Enquanto a VIA contrata um hacker para proporcionar acessibilidade ao Linux, a Foxconn sabota a utilização do Gnu/Linux em suas placas mãe. A tabela ACPI foi propositalmente modificada para esse sistema, assim gerando inúmeros problemas intermitentes, que por sua vez pode destruir a credibilidade do sistema perante os menos informados, as pessoas que usam e não querem e nem precisam se “atenar” sobre.

O que posso fazer?

“Foxconn? NÃO! compra outra coisa… não é uma empresa com princípios e que podemos esperar de uma companhia como essa? Onde está o interesse pelo público?”

Pois muitos já usam Gnu/Linux em suas placas. Quero ver como ela irá ficar na fita agora!

Vamos esperar e ver o que eles têm a dizer sobre o assunto.

Update : De acordo com essa fonte, a Foxconn informou que o culpado pelo problema é a fabricante da BIOS, a AMI (American Megatrends).

Somos consumidores da Foxconn, correto? Infelizmente cobraremos diretamente dela.

Ainda há algum problema, mesmo que não tenha sido feita pela Foxconn, correto? Vamos ver onde essa “novela” irá acabar.

Update2: A Foxconn lançou um update para resolução do problema. Palmas para Foxconn.


Meu primeiro Patch

maio 28, 2008

Meu primeiro Patch

Olha só! Depois de ter lido o post do meu amigo Cárlisson Galdino, resolvi fazer um patch para solucionar um problema especifico. Vou explicar melhor abaixo:

A pouco tempo atrás, escrevi um artigo sobre a instalação do DBDesigner no Fedora. No meio dos procedimentos tinha a informação de como mudar um parâmetro de conexão do banco para que a conexão funcionasse corretamente.

Depois de algum tempo de escrito, me peguei pensando que poderia haver uma maneira mais “jeitosa” para resolver aquele armengue, que era necessária em TODA conexão criada, de mudar os parâmetros.

Sendo assim começou minha busca pelos arquivos do programa. Assim descobri que o DBDesigner guarda na pasta Data os arquivos de padrões para os parâmetros, porém algo que me “torrou a paciência” foi mudar esse arquivo e não atualizar nada no Software. Depois de muito tentar, descobri que o DBDesigner cria um diretorio oculto (.DBDesigner4) no Home de cada usuario, na sua primeira utilização, e assim eu tinha que mudar o arquivo lá também, ou no caso simplesmente removê-lo. Tanto faz, somente a titulo de informação, pois o que está em foco era o fato de com posse do arquivo, a criação do patch se faria muito eficaz, já que os usuários apenas executariam  um comando e o problema seria resolvido.

Depois de ler o artigo do Cárlisson Galdino, que é BEM fácil, consegui criar meu PRIMEIRO patch. Feitos os devidos testes com sucesso, hospedei ele em um site de compartilhamento de arquivos.

Infelizmente não posso contribuir com o projeto DBDesigner, pois a ferramenta que o programa usa para acessar o banco é proprietária e a simples referência de sua biblioteca no arquivo do meu patch poderia causar problemas ao projeto. Sendo assim disponibilizo de outras formar para o usuário final. Não vou entrar no merito da legalidade disso. Eu não vejo grandes problemas, mas…

Obrigado Cárlisson,


E então a audiência…

maio 26, 2008

Como informando nesse post, hoje fomos a assembléia legislativa para audiência publica que foi solicitada pelo PSL-BA (Projeto Software Livre Bahia). Tínhamos como intuito duas vertentes. Uma que repudiava o protocolo assinado entre o governo da Bahia e a Microsoft Informática LTDA. E a outra que propunha o manifesto “Por Uma Bahia Tecnologicamente Livre E Desenvolvida”.

Não posso dizer que a audiência foi um sucesso, porém muito menos afirmar o fracasso, pois não sei exatamente qual resultado aceitável para esse tipo de evento. Que não teve a presença de pessoas chaves, que seria muita interessante para o estabelecimento de um debate sadio. Em todo caso, foi empolgante a presença de toda comunidade de Software da Bahia. Muitas pessoas que só aparecem com nomes nas listas, estavam lá dando sua contribuição em forma de presença. Serviu para mostrar que não somos poucos!

Vou passar um resumo do que foi comentado nessa audiência:

Foi levantado a possibilidade de reunião da comunidade, UFBA, IATE, PRODEB, SERPRO e outros com o nosso governador, para assim discuti diretamente qual seria as nossas proposições. Porém antes será necessário elaborar uma pauta bem definida e assim ser entregue com antecedência para essa marcação.

Existirá uma reunião preliminar para fechar essa pauta. Na qual será organizada pela SECTI, mas precisamente como responsável o Alisson.

No decorrer da reunião nosso amigo Eurípedes leu brilhantemente o parecer juridico sobre a legalidade do protocolo de intenções.

Eurípedes de forma clara e concisa, mostrou todos os pontos nos quais o protocolo é ilegal e anticonstitucional!

Veja você mesmo o parecer jurídico, criado por ele e seus estagiários.

Parabéns Eurípedes.

Depois dessa informação me foi passado a palavra para então ser lido o manifesto.

Ao final, não houve qualquer questionamento sobre o mesmo.

Em seguimento, Elias (Presidente da Prodeb) fez o seguinte pronunciamento : “Não existe necessidade de convencimento para Prodeb” Falando em relação a eficácia da utilização do SL.

Elias também comentou a solicitação que fez ao grupo SL da Fortic e dispôs a Prodeb como infra-estrutura ao que sairá de resultado do SL no governo. Inclusive ele se dispôs a participar das reuniões que irão decidir esses pontos.

Por fim, ficou claro o que faltava nessa audiência com a pergunta do nosso amigo Leandro :

” Se o Governo já está convencido sobre o uso de SL, por que foi assinado protocolo de intenções com a Microsoft?”

Ficou sem resposta. Porém não iremos para por aqui. Receber essa informação de alguma forma é um dos nossos objetivos.

Resumindo posso dizer que ao menos mostramos nossa “força” para o governo. Demonstramos mais uma vez o poder da comunidade unida.

Vamo que Vamo pessoal !!!

Para não perder o Habito…

Wagner, diga não as drogas!!!

E então a audiência...


Conselho de Informática? Veja por que eu digo NÃO!

maio 25, 2008

Primeiro, digo não, para o decreto proposto, não para idéia de organizar a classe.

Para os que desconhecem essa proposição de decreto. Segue nesse link o qual foi proposto pelo Deputado Expedito Júnior e segue no “processo” de votações.

Conselho de Informática? Veja por que eu digo NÃO!

Como não sou um entendido (Pareço até o Wagner assim :P) não vou me ater a detalhes jurídicos (Se é que eles existem).

Na justificativa descrita no fim do documento temos alguns explicações um tanto quanto contraditorias ao que foi proposto dentro do decreto.

“Com as normas aqui propostas, pretendemos tornar livres as atividades de informática, compatibilizando a legislação com a realidade tecnológica em que vivemos. Realidade esta que colocou nas mãos do usuário do computador a possibilidade de desenvolver seus próprios programas e de se conectar com o mundo, com todas as implicações daí decorrentes.”

Tornar livre? Com esse item?

“Art. 22. Todo profissional de Informática, habilitado na forma da presente Lei, para o exercício da profissão, deverá inscrever-se no Conselho Regional de Informática de sua área de atuação.”

Deverá? onde isso torna alguém livre?

Ok, muitos irão dizer, mas é somente ir se registrar não é? Não que eu concorde com o cadastramento, mas vamos lá.

“Art. 2° Poderão exercer a profissão de Analista de Sistemas no País:

I – os possuidores de diploma de nível superior em Análise de Sistemas, Ciência da Computação ou Processamento de Dados, expedido por escolas oficiais ou reconhecidas;

II – os diplomados por escolas estrangeiras reconhecidas pelas leis de seu País e que revalidarem seus diplomas de acordo com a legislação em vigor;

III – os que, na data de entrada em vigor desta Lei, tenham exercido, comprovadamente, durante o período de, no mínimo cinco anos, a função de Analista de Sistemas e que requeiram o respectivo registro aos Conselhos Regionais de Informática.”

E aqueles profissionais com 4 anos e meio que são parte integrante do desenvolvimento e inovação da sociedade como um todo? Aqueles que não fizeram e nem querem ingressar em uma Faculdade/Universidade? Meus pêsames para eles? NÃO!

Mais dinheiro para o Governo? SIM!

“Art. 20. Constituem renda dos Conselhos Regionais de Informática:

I – anuidades cobradas dos profissionais inscritos;

II – taxas de expedição de documentos;

III – emolumentos sobre registros e outros documentos;

IV – doações, legados, juros e subvenções;

V – outros rendimentos eventuais.”

Será possível que tem tanto problema de um “não analista” não exercer essa função? Vai gerar impacto na sociedade? Vai SIM!

Dados retirados do site pls607:

“Para refrescar a memória de algumas pessoas que acham que apenas os formados em Ciência da Computação teriam direito a trabalhar com Computação:

* Brian Kernighan – Um dos criadores da linguagem C, da linguagem AWK, e de vários utilitários do Unix original. Formado em Engenharia Física. Doutorado em Engenharia Elétrica.
* Dennis Ritchie – Um dos criadores da linguagem C e do Unix, e grande contribuidor do Plan9. Formado em Física e em Matemática Aplicada.
* Donald Knuth – Pai da análise de algoritmos. Criador do TeX, grande escritor e professor de Ciência da Computação. Formado em Bacharelado em Ciências. Doutorado em Matemática.
* Andrew S. Tanenbaum – Criador do MINIX, grande escritor e professor de Ciência da Computação. Formado em Física. Doutorado em Física.
* John von Neumann – Pioneiro da computação. Formado em Engenharia Química. Doutorado em Matemática, Física Experimental e Química.
* John Backus – Criador da linguagem FORTRAN, e um dos desenvolvedores do padrão da linguagem ALGOL. Curso superior incompleto em Química. Teve treinamento em Medicina pelo exército. Mestrado em Matemática.”

Está claro? O problema não é a idéia do que vai ser feito e COMO vai ser. Temos que ficar atentos!


ODF vai ser suportado pela Microsoft!

maio 22, 2008

Isso mesmo! A Microsoft irá suportar a no Office 2007 SP2 o ODF como tipo de documentos, porém esse service pack somente será lançado em 2009. Agora qual a grande novidade nisso? Nenhuma!

1 – Existe um padrão normatizado pela ISO.

2 – Empresas sérias seguem padrões. Ou ao menos deveriam! Pois eles foram criados para facilitar e são votados por todos.

3 – A Microsoft segue tendências de mercado, assim como toda empresa. Sendo assim, está mais que óbvio a força do ODF na Europa como padrão de documentos. Falando do Brasil podemos comentar o governo do Paraná que já adotou o ODF como padrão de documentos do estado.

ODF vai ser suportado pela Microsoft!

Sendo assim essa ação foi mais que esperada. E para falar a verdade, já estava até demorando.

Fonte : BetaNews


Boas notícias para o Software livre na Bahia!

maio 21, 2008

Hoje,

Em reunião com:

João Cassino – Cobra Tecnologia
Antonio Terceiro – Associaçao do Software Livre (ASL)
Rafael Gomes – Projeto Software Livre Bahia
Alisson Sousa – Projeto Software Livre Bahia
Vicente Aguiar – Projeto Software Livre Bahia
Bruno Moura – Prefeitura de Camaçari
Álvaro Santos – Gestor de TIC do Governo da Bahia
Adhvan Furtado – Gestor de TIC do Governo da Bahia
Diógenes Filho – SECTI / CMO
Murilo Costa – SEFAZ / DTI
Marcus Senna – DTI
Dilson Santos – SERPRO
Isabela Piva – SEI
Marcos Benjamin – SERPRO
Luciano Barreto – UFBA

PS: Os outros que não estão nessa lista, mas apareceram me desculpe. Ainda não estou com a lista de presentes. Essa foi divulgada no convite que recebi. (Obrigado Diógenes!!!)

Tínhamos com assunto principal:

“Software Livre – comunidade do Governo Federal e baiana da área”

Sendo assim Alvaro, como solicitante da reunião, iniciou falando sobre as iniciativas do governo e qual impacto delas na comunidade baiana. De certo modo, explicou a assinatura do protocolo se deu origem para suprir uma demanda de mercado. Eu não concordo, mas a reunião não tinha como foco esse debate e resolvi não me ater a esse detalhe.

Sendo assim continuamos pelas iniciativas do governo e nos foi apresentado o Fortic (Fórum de Gestores de TIC do Governo da Bahia). Que a partir desse fórum é criado grupos de trabalho para atuações especificas. Tal como :

* Software Livre (Falaremos dele mais abaixo).

* Comprar de TI – Um grupo de trabalho somente para coordenar as iniciaticas de compra de TI. Acho que é proveitoso se não servir para engessar o processo de compra, mas não vou entrar em detalhes agora.

* Capacitação de Gestores – Ótimo! Chegamos a um belo ponto. Não adianta nada programa de capacitação dos usuários, se seus gestores não tiverem alinhamos com os processos que serão utilizados. Acredito que um treinamento diferenciado deve ser disponibilizado para essas pessoas, mas novamente, não entrarei muito nesse detalhe.

No grupo de SL, tinha três representantes, tendo como Coordenador o Marcus Senna Diógenes Filho. Que nos explicou as atuais ações do grupo:

* Criação de pesquisa com profissional de TI em SL dentro do estado (Com 4 perguntas).

* Criação de pesquisa com gestores de TI em SL dentro do estado (Com 4 perguntas).

* Criar um guia de migração do estado, com base no guia federal.

Nesse momento, o presidente da Prodeb, Elias, solicitou ao grupo que fosse elaborado uma politica de software livre no governo da Bahia. E também se colocou a disposição em ajudar o grupo no que fosse necessário.

Por fim, conversando com os integrantes do grupo. Pude perceber que essa reunião foi extremamente proveitosa, pois possibilitou um maior “fôlego” para o eles.

Porém algo que foi dito pela comunidade e sempre iremos dizer. Cadê a integração com a comunidade? Nem sabíamos da existência desse grupo! Custava muito dizer todas essas iniciativas, poupava muitos questionamentos.

Cobrei do Marcus uma interface para que a comunidade atue nesse grupo de software livre do governo da Bahia. Ele me prometeu disponibilizar isso assim que os projetos caminharem, porém podemos acompanhar e opinar via blog do fortic.

Acredito que essa reunião foi bastante proveitosa, porém fico com um “pé atrás” quanto a essas decisões. Poderei falar realmente quando estiverem efetivamente “andando”. Em todo caso já temos uma boa decisão.

Agora temos total noção de quem está “encabeçando” o projeto de SL dentro do Governo, iremos cobrar a eles as decisões.

Se eles pensam que iremos ficar “por aqui”. Eles estão enganados. Nos como comunidade temos que pressionar o governo para que haja ações de suas palavras. Não podemos apenas ficar no falatório quando há muita coisa a ser feito.

Nossa audiência publica ainda está marcada e iremos demonstrar nossa opinião, lá sim será o dia em que debateremos sobre esses assuntos. Vamos mostrar qual nossas propostas e efetuar nossos questionamentos. Eu mesmo tenho algumas perguntas a serem feitas. Que precisam de respostas.

Para não perder o costume…

Wagner! Diga não as drogas!

Boas not�cias para o Software livre na Bahia!

Vamo que vamo…