Por que ainda não ganhamos?

Muito foi dito depois de eu divulgar que mesmo depois do governo assinar com a Red Hat, a comunidade baiana não estaria ganhado a “luta” que iniciou com a reação ao protocolo com a Microsoft.

Sei que pareço uma pessoa inconformada em uma visão mais ampla, porém o post foi para informar que AINDA não ganhamos. A “parceria” com a Red Hat é um GRANDE passo, mas não é a conclusão do processo.

Por que ainda não ganhamos

Como falei no post passado, a Red Hat é um ótimo exemplo da empresa a se estabelecer parcerias com o Governo. Claro que deve ser avaliado todas os problemas juridicos que essa parceria implica, mas isso é outro assunto.

A Red Hat sim é uma empresa que presa o desenvolvimento do estado. Ela participa de todo ciclo colaborativo e retorna para a comunidade o fruto do seu esforço, pois todo conhecimento é livre. Acredito que o protocolo proposto seria seguido pela Red Hat e não pela outra companhia.

Em todo caso, não podemos deixar de atentar para o que solicitamos ao governo. Um Política clara de Software Livre na Bahia. A parceira por sí só não vai trazer isso para Bahia. Como citei no post anterior, é necessário capacitação, suporte e desenvolvimento por parte do governo. Muito já foi feito, como podemos ver com o projeto Berimbau Livre e afins. Precisamos apenas “arrumar a casa” e continuar.

Faltou o elogio no ultimo post não foi? Parabéns Governo da Bahia, mas temos que continuar a trabalhar. Vamos construir juntos essa “Bahia e todos nós”.

Como diz meu amigo Vicente “Vamo que Vamo”

4 respostas para Por que ainda não ganhamos?

  1. Ed disse:

    Cara, talvez vc nem fosse ligado ao SL ainda qd a RedHat começou a se tornar forte no cenário comercial, mas naquela mesma época vi muita gente dizendo que a RedHat era interesseira, que só fazia se aproveitar da comunidade. Inclusive qd o projeto Fedora foi criado teve um tom de resposta às este tipo de crítica e novas críticas no mesmo sentido surgiram. Hj uns 5 anos depois (acho) ela se torna uma grande alternativa à grandes fornecedores. E sob o ponto de vista mercadológico, qual a diferença entre a RedHat e a MS (resguardadas as devidas proporções). Todas duas estão no jogo pra fazer dinheiro, todas duas tem produtos abertos e todas duas tem produtos fechados. Quando você fala “…presa o desenvolvimento do estado. …” tenha certeza que não deixa de ser uma estratégia de expansão de negócios. Sob olhos de governança corporativa, utilizar um fornecedor ou outro neste caso não faz diferença, contanto que o estado tenha o menor ônus de administração e o melhor ROI na estrutura.

  2. bruno moura disse:

    Grande Rafa….

    Excelente post, paciência é uma virtude meu camarada.

    abraço

  3. Rafael Gomes disse:

    Ed,

    Não estou aqui defendendo os interesses da RH. Apenas para salientar a proporção que foi descrita por ti. A diferença é o produto comercializado por ambas empresas.

    A Red Hat utiliza o conhecimento de toda comunidade, que ela ajuda a produzir também, “faz” o software e cobra somente pelo serviço. No caso da Microsoft, o conhecimento é utilizado da mesma maneira, porém o software é cobrado junto ao serviço. Não existe retorno para comunidade. E assim não existe nenhum interesse no intelecto regional.

  4. laurassb disse:

    Viva! Grande passo do nosso Governo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: