Vamos ajudar o Projeto Mozilla!

maio 29, 2008

Download Day - Portuguese

A Mozilla anuncia no mundo inteiro sua campanha para tentar
estabelecer um novo recorde mundial no Guinness Livro dos Recordes
pelo software mais baixado durante um período de 24 horas. A
iniciativa está planejada para acontecer no dia do lançamento do
Firefox 3, e foi batizada de “Download Day”.

Para isso, a Mozilla acaba de lançar a página do Download Day
(http://www.spreadfirefox.com/pt-BR/worldrecord) onde os interessados
podem participar na tentativa de recorde. Ao fazer a inscrição, o
participante receberá um lembrete do momento certo de fazer o
download. Além disso, caso o recorde venha a ser confirmado, cada
participante passa a ter direito a um certificado pessoal de
participação no recorde.

Ou seja, vale a pena participar, não só para ser premiado com o certificado pessoal, mas com a certeza de estar colaborado para o marketing de uma ferramenta tão utilizada quanto o Firefox.

Vamos lá pessoal!!!


Instalando o HTB Tools no Fedora

maio 28, 2008

O HTB (Hierarchical Token Bucket) é o sucessor do CBQ (Class Based Queueing). O HTB é utilizado para configuração do tão famoso QoS no Gnu/Linux.

O HTB Tools é uma ótima ferramenta para facilitar a configuração e manutenção do QoS. Tem interface gráfica e simples de instalação e um arquivo texto, simples e claro, para configuração. Esse arquivo tem o mesmo estilo utilizado pelo BIND.

Sendo assim aconselho a utilização do HTB Tools para aqueles que querem economizar tempo na instalação e configuração de uma ferramenta de QoS, mas se deseja conhecer os processos completos do QoS, seria interessante usar o tc para esse serviço. (Não irei entrar nesse detalhe aqui).

Na instalação do HTB Tools, percebi que existe um erro na compilação do software e assim após ver essa solução, percebi que era a chance para eu criar meu segundo patch! 😀 Sendo assim ele já está descrito nesse tutorial, que segue abaixo:

Baixe o pacote:

http://htb-tools.arny.ro/download.php?list.19

Descompate o arquivo

# tar xvzf HTB-tools-0.3.0a.tar.gz

Baixe o patch

http://www.4shared.com/file/49304709/354d8284/htb.html

http://www.mediafire.com/?sharekey=7022404e69eb0f0fab1eab3e9fa335cacde68b9406ef2dd6 (Esse funciona!)
Copie o patch para a pasta do HTB e então aplique o patch:

# patch -p1 -i htb.diff

Na opção “Reversed (or previously applied) patch detected! Assume -R? [n]” responda “y” (sem as aspas! CLARO!)

Baixe o pacote Flex:

# wget http://site.n.ml.org/download/20030401085856/flex/flex-2.5.4a.tar.gz

Descompacte o pacote:

# tar xvfz flex-2.5.4a.tar.gz

Compile o pacote:

# ./configure

# make

# make install

Agora apenas inicie a instalação:

# ./setup

Selecione a opção INSTALL
Instalando HTB Tools no Fedora
Depois escolha a opção FULL

Instalando o HTB Tools no Fedora

Agora clique em INSTALL

Instalando o HTB Tools no Fedora

Escreva o endereço dos diretórios virtuais do apache:

Instalando o HTB Tools no Fedora

Clique apenas em ACEITAR.

Instalando o HTB Tools no Fedora

Pronto! HTB Tools instalado.

Quer saber como funciona os arquivos do HTB para poder modificar? Veja aqui no site oficial a documentação ou essa versão em português.


Meu primeiro Patch

maio 28, 2008

Meu primeiro Patch

Olha só! Depois de ter lido o post do meu amigo Cárlisson Galdino, resolvi fazer um patch para solucionar um problema especifico. Vou explicar melhor abaixo:

A pouco tempo atrás, escrevi um artigo sobre a instalação do DBDesigner no Fedora. No meio dos procedimentos tinha a informação de como mudar um parâmetro de conexão do banco para que a conexão funcionasse corretamente.

Depois de algum tempo de escrito, me peguei pensando que poderia haver uma maneira mais “jeitosa” para resolver aquele armengue, que era necessária em TODA conexão criada, de mudar os parâmetros.

Sendo assim começou minha busca pelos arquivos do programa. Assim descobri que o DBDesigner guarda na pasta Data os arquivos de padrões para os parâmetros, porém algo que me “torrou a paciência” foi mudar esse arquivo e não atualizar nada no Software. Depois de muito tentar, descobri que o DBDesigner cria um diretorio oculto (.DBDesigner4) no Home de cada usuario, na sua primeira utilização, e assim eu tinha que mudar o arquivo lá também, ou no caso simplesmente removê-lo. Tanto faz, somente a titulo de informação, pois o que está em foco era o fato de com posse do arquivo, a criação do patch se faria muito eficaz, já que os usuários apenas executariam  um comando e o problema seria resolvido.

Depois de ler o artigo do Cárlisson Galdino, que é BEM fácil, consegui criar meu PRIMEIRO patch. Feitos os devidos testes com sucesso, hospedei ele em um site de compartilhamento de arquivos.

Infelizmente não posso contribuir com o projeto DBDesigner, pois a ferramenta que o programa usa para acessar o banco é proprietária e a simples referência de sua biblioteca no arquivo do meu patch poderia causar problemas ao projeto. Sendo assim disponibilizo de outras formar para o usuário final. Não vou entrar no merito da legalidade disso. Eu não vejo grandes problemas, mas…

Obrigado Cárlisson,


Revista Fedora

maio 27, 2008

Novamente o Projeto Fedora Brasil, vem mostrado bons frutos ao trazer para comunidade a segunda versão da Revista Fedora. Que é distribuída gratuitamente na internet. Através de um PDF de aproximadamente 9 mb. Você terá acesso a um mundo de informação, de uma distribuição Gnu/Linux que presa pelo foco no Usuário Final.

Revista Fedora

Novamente vem recheada de artigos para agregar o conhecimento do leitor, feitas pela própria comunidade do Projeto Fedora.

Interessado em colaborar? Entre na lista de discussão. Ajude a fazer acontecer essa idéia tão inovadora e interessante do Projeto Fedora Brasil.

Interessou? É só Baixar!


E então a audiência…

maio 26, 2008

Como informando nesse post, hoje fomos a assembléia legislativa para audiência publica que foi solicitada pelo PSL-BA (Projeto Software Livre Bahia). Tínhamos como intuito duas vertentes. Uma que repudiava o protocolo assinado entre o governo da Bahia e a Microsoft Informática LTDA. E a outra que propunha o manifesto “Por Uma Bahia Tecnologicamente Livre E Desenvolvida”.

Não posso dizer que a audiência foi um sucesso, porém muito menos afirmar o fracasso, pois não sei exatamente qual resultado aceitável para esse tipo de evento. Que não teve a presença de pessoas chaves, que seria muita interessante para o estabelecimento de um debate sadio. Em todo caso, foi empolgante a presença de toda comunidade de Software da Bahia. Muitas pessoas que só aparecem com nomes nas listas, estavam lá dando sua contribuição em forma de presença. Serviu para mostrar que não somos poucos!

Vou passar um resumo do que foi comentado nessa audiência:

Foi levantado a possibilidade de reunião da comunidade, UFBA, IATE, PRODEB, SERPRO e outros com o nosso governador, para assim discuti diretamente qual seria as nossas proposições. Porém antes será necessário elaborar uma pauta bem definida e assim ser entregue com antecedência para essa marcação.

Existirá uma reunião preliminar para fechar essa pauta. Na qual será organizada pela SECTI, mas precisamente como responsável o Alisson.

No decorrer da reunião nosso amigo Eurípedes leu brilhantemente o parecer juridico sobre a legalidade do protocolo de intenções.

Eurípedes de forma clara e concisa, mostrou todos os pontos nos quais o protocolo é ilegal e anticonstitucional!

Veja você mesmo o parecer jurídico, criado por ele e seus estagiários.

Parabéns Eurípedes.

Depois dessa informação me foi passado a palavra para então ser lido o manifesto.

Ao final, não houve qualquer questionamento sobre o mesmo.

Em seguimento, Elias (Presidente da Prodeb) fez o seguinte pronunciamento : “Não existe necessidade de convencimento para Prodeb” Falando em relação a eficácia da utilização do SL.

Elias também comentou a solicitação que fez ao grupo SL da Fortic e dispôs a Prodeb como infra-estrutura ao que sairá de resultado do SL no governo. Inclusive ele se dispôs a participar das reuniões que irão decidir esses pontos.

Por fim, ficou claro o que faltava nessa audiência com a pergunta do nosso amigo Leandro :

” Se o Governo já está convencido sobre o uso de SL, por que foi assinado protocolo de intenções com a Microsoft?”

Ficou sem resposta. Porém não iremos para por aqui. Receber essa informação de alguma forma é um dos nossos objetivos.

Resumindo posso dizer que ao menos mostramos nossa “força” para o governo. Demonstramos mais uma vez o poder da comunidade unida.

Vamo que Vamo pessoal !!!

Para não perder o Habito…

Wagner, diga não as drogas!!!

E então a audiência...


Conselho de Informática? Veja por que eu digo NÃO!

maio 25, 2008

Primeiro, digo não, para o decreto proposto, não para idéia de organizar a classe.

Para os que desconhecem essa proposição de decreto. Segue nesse link o qual foi proposto pelo Deputado Expedito Júnior e segue no “processo” de votações.

Conselho de Informática? Veja por que eu digo NÃO!

Como não sou um entendido (Pareço até o Wagner assim :P) não vou me ater a detalhes jurídicos (Se é que eles existem).

Na justificativa descrita no fim do documento temos alguns explicações um tanto quanto contraditorias ao que foi proposto dentro do decreto.

“Com as normas aqui propostas, pretendemos tornar livres as atividades de informática, compatibilizando a legislação com a realidade tecnológica em que vivemos. Realidade esta que colocou nas mãos do usuário do computador a possibilidade de desenvolver seus próprios programas e de se conectar com o mundo, com todas as implicações daí decorrentes.”

Tornar livre? Com esse item?

“Art. 22. Todo profissional de Informática, habilitado na forma da presente Lei, para o exercício da profissão, deverá inscrever-se no Conselho Regional de Informática de sua área de atuação.”

Deverá? onde isso torna alguém livre?

Ok, muitos irão dizer, mas é somente ir se registrar não é? Não que eu concorde com o cadastramento, mas vamos lá.

“Art. 2° Poderão exercer a profissão de Analista de Sistemas no País:

I – os possuidores de diploma de nível superior em Análise de Sistemas, Ciência da Computação ou Processamento de Dados, expedido por escolas oficiais ou reconhecidas;

II – os diplomados por escolas estrangeiras reconhecidas pelas leis de seu País e que revalidarem seus diplomas de acordo com a legislação em vigor;

III – os que, na data de entrada em vigor desta Lei, tenham exercido, comprovadamente, durante o período de, no mínimo cinco anos, a função de Analista de Sistemas e que requeiram o respectivo registro aos Conselhos Regionais de Informática.”

E aqueles profissionais com 4 anos e meio que são parte integrante do desenvolvimento e inovação da sociedade como um todo? Aqueles que não fizeram e nem querem ingressar em uma Faculdade/Universidade? Meus pêsames para eles? NÃO!

Mais dinheiro para o Governo? SIM!

“Art. 20. Constituem renda dos Conselhos Regionais de Informática:

I – anuidades cobradas dos profissionais inscritos;

II – taxas de expedição de documentos;

III – emolumentos sobre registros e outros documentos;

IV – doações, legados, juros e subvenções;

V – outros rendimentos eventuais.”

Será possível que tem tanto problema de um “não analista” não exercer essa função? Vai gerar impacto na sociedade? Vai SIM!

Dados retirados do site pls607:

“Para refrescar a memória de algumas pessoas que acham que apenas os formados em Ciência da Computação teriam direito a trabalhar com Computação:

* Brian Kernighan – Um dos criadores da linguagem C, da linguagem AWK, e de vários utilitários do Unix original. Formado em Engenharia Física. Doutorado em Engenharia Elétrica.
* Dennis Ritchie – Um dos criadores da linguagem C e do Unix, e grande contribuidor do Plan9. Formado em Física e em Matemática Aplicada.
* Donald Knuth – Pai da análise de algoritmos. Criador do TeX, grande escritor e professor de Ciência da Computação. Formado em Bacharelado em Ciências. Doutorado em Matemática.
* Andrew S. Tanenbaum – Criador do MINIX, grande escritor e professor de Ciência da Computação. Formado em Física. Doutorado em Física.
* John von Neumann – Pioneiro da computação. Formado em Engenharia Química. Doutorado em Matemática, Física Experimental e Química.
* John Backus – Criador da linguagem FORTRAN, e um dos desenvolvedores do padrão da linguagem ALGOL. Curso superior incompleto em Química. Teve treinamento em Medicina pelo exército. Mestrado em Matemática.”

Está claro? O problema não é a idéia do que vai ser feito e COMO vai ser. Temos que ficar atentos!


Usando o DBDesigner no Fedora

maio 24, 2008

Instalar e configurar essa ferramenta extremamente poderosa para o ambiente LAMP inicialmente me pareceu uma tarefa difícil, mas depois desse tutorial! Pronto! Muito Simples!

Usando o DBDesigner no Fedora

Baixar o pacote :

http://downloads.mysql.com/DBDesigner4/DBDesigner4.0.5.4.tar.gz

Depois baixar a biblioteca :

# wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/sourceforge/kylixlibs/kylixlibs3-borqt-3.0-2.tar.gz

Então descompactar

# tar zxvf kylixlibs3-borqt-3.0-2.tar.gz

Copie a biblioteca para o local correto :

cp kylixlibs3-borqt/libborqt-6.9.0-qt2.3.so /usr/lib

Crie o link simbolico para o arquivo que o DBDesigner solicita :

ln -sf /usr/lib/libborqt-6.9.0-qt2.3.so /usr/lib/libborqt-6.9-qt2.3.so

Enfim coloque o seguinte comando para ativa a nova biblioteca

# ldconfig

Inicie a configuração do DBDesigner. Coloque o seguinte comando :

<pasta DBDesigner>/startdbd

Crie um atalho no menu do Gnome :

copie o arquivo startdbd.desktop para /usr/share/applications/

Depois edite o arquivo copiado para o seguinte conteúdo:

[Desktop Entry]
Comment=fabFORCE DBDesigner 4
Exec=/opt/DBDesigner4/DBDesigner4
Icon=/opt/DBDesigner4/Gfx/Icon48.xpm
Name=DBDesigner4
Type=Application
Categories=Qt;KDE;Development;WebDevelopment;

Pronto!

Agora vá em Aplicações > Programação e verá o icone do DBDesigner.

Problemas em conectar no banco?

Baixe o driver DbExpress do Mysql

# wget http://crlab.com/dbx/dbxmda.tar.gz

Depois copie a biblioteca

# cp DbxMda/libsqlmda.so.4.20 /usr/lib
# ldconfig

Agora no ato da conexão será necessário mudar alguns parâmetros na aba Advanced

# GetDriverFunc para getSQLDriverMySQL (isso mesmo com y minúsculo)
# LibraryName para libsqlmda.so.4.20
# VendorLib para libmysqlclient.so.15

Baixe o patch e então dê os seguinte comandos:

# cd /opt/DBDesigner4

# patch -p1 -i DBDesigner4.diff

Obs : Se você já executou o DBDesigner, antes de efetuar esses dois passos acima, remova os arquivos da pasta home do usuário, pois quando o programa foi iniciado, esses arquivos serão recriados.

# rm -fr /home/<seu usuário logado>/.DBDesigner4

PS: Ainda vou criar um script para fazer isso tudo acima somente com um comando. Vou achar um tempo para fazer isso!

Pronto!

Achou o DBDesigner um pouco feio?

No DBDesigner4 vá no Menu Options -> DBDesigner Options. Na aba Visual Options troque a fonte, conforme você troca já muda na tela para você ver. O meu ficou muito bom com Helvetica, 8.

Fonte