ZFS – Sun Solaris Filesystem (parte 1)

“A última palavra em sistema de arquivos…”

Bom, assim começa a apresentação da Sun Microsystems sobre o ZFS. Realmente se analisarmos pelo menos alguns tópicos, dentre tantos listados pelos técnicos da Sun, ficaríamos realmente impressionados.

 As principais características, com certeza, são o conceito de Pooled Storage, que aposenta o conceito de volumes e capacidade impressionante de 128-bits.

Logo de cara, uma mudança conceitual drástica, enquanto os FS(filesystems) convencionais trabalham com a abstração de disco virtual, o ZFS traz o conceito de alocação dinâmica(malloc / free), ou seja, customizável e portável, podendo ser gerenciado de acordo com o dimensionamento dos seus recursos e necessidades. Fim das partições, agora são recursos em grupo(pool) que são sempre compartilhados. Utilização total de checksum, livre de arquivos corrompidos silenciosamente. Diferente dos FS convencionais, o checksum não é armazenado com o bloco de dados verificado e sim em um ponteiro para o bloco, permitindo uma validação do bloco em todo o seu caminho.

Com certeza, são inovações bastante interessante e que envolve muito mais complexidade e pesquisa do que foi demonstrado por aqui, mas espero que sirva como um startup, ainda mais com a disponibilidade do Open Solaris e a abertura do Java.

Estarei trazendo mais informções sobre o ZFS e demais características dessa plataforma, portanto, até a próxima.

3 respostas para ZFS – Sun Solaris Filesystem (parte 1)

  1. Elder Souza disse:

    Olá Rodrigo, tenho duas dúvidas sobre o texto, você poderia esclarecer um pouco?

    1 – “Abstração de disco virtual”
    2 – “O checksum não é armazenado com o bloco de dados verificado e sim com o ponteiro para o bloco”, este ponteiro está apontando para algum lugar, este é o local efetivo onde estão armazenados os checksums dos blocos de dados, você tem alguma informação mais detalhada sobre isso?

    grato

  2. raoliv disse:

    1. A abstração de disco virtual, refere-se ao fato dos sistemas de arquivos convencionais, particionarem o disco em duas ou mais unidades, de modo a virtualizar a existência de outros discos ou volumes. No ZFS não existem volumes todo o disco é compartilhado pelas zonas e o espaço é alocado e/ou liberado dinamicamente como no esquema [malloc / free].

    2. Com relação a checagem de integridade dos blocos de dados, nos FS convencionais o checksum é armazenado junto com esse bloco de dados, podendo assim comprometer a validação da integridade desse bloco. No ZFS o checksum é armazenado em um ponteiro para o bloco de dados, garantindo assim que a validação por completo dos dados em questão.

    Espero ter esclarecido. Informações mais completas, você pode encontrar no site da sun: http://www.sun.com.

  3. Asrail disse:

    Eu acho perfeita a possibilidade de usar apenas uma partição do HD como se fossem várias partições diferentes, podendo instalar mais de um sistema, ter partições separadas pra home, usr, etc, etc.

    Eles só poderiam ter um sistema mais bonitinho pra gerenciar os dispositivos e pontos de montagem, hehe.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: